AcessibilidadeAcessibilidadeInternacional

 
As sequelas da Covid-19 revelam danos sistêmicos que vão além do aparelho respiratório e que podem se estender por muitos meses. Atenta à necessidade de um tratamento multiprofissional com equipe integrada para atender à população, a Secretaria Municipal de Saúde de Santa Cruz do Sul, por meio da Direção de Ações Especializadas, e o Programa de Residência Multiprofissional em Saúde (PRMS) do Hospital Santa Cruz (HSC) firmaram uma parceria com o objetivo de evitar a fragmentação do tratamento e oferecer o início precoce da reabilitação pós-covid na rede de atenção básica do município.

A ideia de implementar um Programa de Reabilitação foi discutida em reunião realizada no dia 27 de maio deste ano, na Secretaria Municipal de Saúde. O encontro teve a presença da coordenadora do PRMS, professora Mari Ângela Gaedke, das docentes membros da Comissão de Residência Multiprofissional (Coremu) Dulciane Paiva, Miriam Reckziegel e Éboni Reuter e de residentes multiprofissionais. Conforme Mari Ângela, a parceria com a prefeitura irá garantir melhores resultados ao tratamento, facilidade de acesso e aderência dos pacientes, respeitando as fases da doença e garantindo segurança, especialmente para os idosos que, por terem outras morbidades, se tornam mais vulneráveis.
 
“As chances de sofrer com as sequelas se elevam para aqueles que tiveram a forma grave da enfermidade”, explica. “Os sintomas mais frequentes têm sido a fadiga, fraqueza muscular, alterações de sensibilidade, falta de ar, perda de olfato e paladar, ansiedade e depressão, estresse pós-traumático, entre outros”, cita a professora. Dessa forma, segundo ela, uma avaliação individualizada, que contemple aspectos físicos, funcionais e psicológicos, é fundamental para definição do plano terapêutico no processo de reabilitação pós-Covid.

“Esta iniciativa é fruto de uma parceria que o Programa de Residência Multiprofissional do HSC mantém com a Secretaria Municipal de Saúde, uma vez que os residentes multiprofissionais também atuam na Rede de Atenção à Saúde do município”, reforça Mari Ângela. “Um dos objetivos do Programa de Residência é justamente formar profissionais de saúde qualificados para atuação no SUS, abrangendo os diferentes níveis de complexidade de atenção à saúde”, destaca.

Além disso, a professora Dulciane, docente do Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), ressalta que o caráter multiprofissional e interdisciplinar da proposta é o ponto forte do programa de reabilitação. A estruturação do projeto foi elaborada pelos residentes Bárbara Aragones, da área da Fisioterapia; Ricardo Lautert, da Educação Física; e Isadora Ferreti, da Psicologia, sendo inicialmente implantado, em junho, nas ESFs Cristal Harmonia e Viver Bem. “A proposta contará com a importante participação dos residentes, além do apoio da equipe da unidade de saúde referência para a intervenção”, acrescenta Dulciane.


O Programa
O Programa de Reabilitação pós-covid tem como objetivo qualificar o atendimento aos pacientes na atenção básica, promover o alívio nos sintomas, recuperar a capacidade funcional e restabelecer o retorno desta população às suas atividades laborais, sociais e esportivas. Tal estratégia torna-se um dispositivo importante para melhoria da qualidade de vida proporcionando uma reabilitação biopsicossocial destes sujeitos. Estão previstas atividades em grupo e atendimentos individuais que, dependendo do caso, poderão ser desenvolvidos no próprio domicílio do paciente quando este não tiver condições de se deslocar até o posto de saúde. A identificação dos pacientes para compor o programa será por meio de busca ativa dos profissionais envolvidos juntamente com os agentes comunitários de saúde, assim como será feita ampla divulgação junto à comunidade que poderá procurar a unidade de saúde e se cadastrar para participação.
 
 
MENU PRINCIPAL