Pesquisa

O que é

Formado em 1999 pelo curso de psicologia localizado no bloco 13, com a finalidade de manter animais para as aulas praticas do curso. Transferido em 2005 para o bloco 35, ainda sob a coordenação do curso de psicologia, ocupou um ambiente mais próximo do ideal para a manutenção e utilização.

A sua gestão e manutenção desde 2009 foi assumida pelos cursos de Educação Física e Medicina.

Hoje, o biotério é utilizado pelos pesquisadores e mantém animais de laboratório para as atividades de ensino, pesquisa e extensão.

O objetivo do biotério, além de dar suporte às práticas de aulas laboratoriais com uso de animais, é de oferecer condições de avanços em pesquisas científicas, nas diversas áreas do interesse universitário.  Busca aliar ensino e pesquisa, enaltecendo a formação de profissionais comprometidos com a ética e humanismo. Neste sentido, procura o biotério, auxiliar os pesquisadores (docentes e alunos) nas providências para aquisição e translado de animais de laboratório para atendimento das atividades acadêmicas, tanto de ensino como pesquisa.



Localização e contato
:
UNISC - Campus Santa Cruz do Sul
Bloco 20 - Sala 2021
Email: bioterio@unisc.br

Quem pode solicitar a utilização do Biotério

  • disciplinas;
  • projetos de pesquisa;
  • acadêmicos desenvolvendo TCC; e
  • demais pesquisas.


* Em todos os casos deve haver a participação de um docente da UNISC com habilitação na área em estudo.


Como solicitar

A solicitação de utilização deve ser encaminhada pelo docente responsável, até o início do semestre letivo anterior à realização da pesquisa/disciplina, para bioterio@unisc.br com o projeto em anexo e com as seguintes informações no corpo do e-mail:

  • número de animais necessários;
  • sexo;
  • peso;
  • idade;
  • data de início e de encerramento da pesquisa;
  • cronograma detalhado contendo, se for o caso, os horários extraordinários e noturnos que serão necessários.


Importante: em caso de TCC, a solicitação deve ser feita pelo professor orientador.

Observações importantes:
A Coordenação do Biotério analisará a solicitação, verificará datas e períodos possíveis de utilização, e se o parecer for positivo, é informado ao pesquisador um custo estimado referente à utilização do Biotério no período solicitado (sujeito a ajustes em caso de alteração do prazo e da quantidade de animais).

O custo refere-se a

  • infraestrutura oferecida (sala, equipamentos, material de expediente);
  • maravalha,
  • ração*
  • animais (aquisição e translado)
  • recursos humanos envolvidos no período
  • despesas com manutenção/conservação dos equipamentos utilizados

 

* se houver ração específica o pesquisador deve adquiri-la e o custo estimado não é alterado.

Cabe ao pesquisador

  • aquisição de materiais/produtos específicos para a pesquisa.


A liberação da utilização do Biotério se dá somente após aprovação do projeto pela Comissão de Ética para Uso de Animais.

O RATO

Espécie: Rattus norvegicus (Primeiro animal cuja razão primária para domesticação foi o uso em pesquisa científica).
Ordem: Rodentia

Características Gerais: audição acentuada com sensibilidade a US e sons agudos; visão pobre, incapazes de detectar cor; são cegos para luz de comprimento longo (vermelho). Sua cauda é o principal órgão para troca de calor.
Comportamento: Podem se tornar acostumados à manipulação contanto que não sejam perturbados durante esta operação. Os ratos mordem sem aviso, porém não repetidamente. Diferentemente dos camundongos, grupos do mesmo sexo podem ser alojados na mesma gaiola sem luta. São ativos primariamente durante a noite quando se alimentam. O ciclo claro é utilizado para repouso, dormida e digestão. A manipulação do animal durante a noite é mais difícil.


DADOS BIOLÓGICOS DO RATO
Peso do rato adulto macho (g): 300-800
Área superficial (cm2): 10,5 (peso em g) 2/3
Expectância de vida (anos): 2 a 3,5
Consumo de alimentos (g/100g.dia): 10
Consumo de água (ml/100g.dia): 10-12
Temperatura corpórea (ºC): 38-39
Freqüência cardíaca (bpm): 320-480
Freqüência respiratória (min-1): 85-110


MANEJO

Gaiolas: de polipropileno (opacas) ou policarbonato (transparentes), com tampa aramada para apoiar o bebedouro e a ração (1-3 ratos adultos dependendo do tamanho da gaiola.
Cama: O material da cama é colocado diretamente na gaiola para permitir absorção da urina e permitir ao animal a se enterrar (troca 2x/semana), a disponibilidade de água e ração deve ser checada diariamente.
Ração: A ração deve ser peletizada e composta primariamente de cereais suplementados com proteína adicional, vitaminas e minerais. A água dever ser pelo menos clorada.

O CAMUNDONGO

Espécie: Mus musculus
Ordem: Rodentia
Características gerais: dócil e de fácil manipulação, audição e olfato desenvolvidos (altamente sensíveis a ultra som e barulhos agudos), visão pobre (incapazes de detectar cor. Luz vermelha é utilizada para observar animais durante o ciclo escuro, pequeno tamanho (devido a alta relação de área superficial/volume), são susceptíveis a mudanças de temperaturas (pode modificar respostas fisiológicas), curto intervalo de gestação, ritmo circadiano (padronização da hora das inoculações/ coleta de amostras).
Comportamento: Podem ser agrupados logo após o desmame, podendo co-existir pacificamente. No entanto, algumas linhagens (i.e. BALB/cJ, SJL/J, HRS/J) começarão a lutar mesmo quando agrupados logo após o desmame. Os machos reprodutores que foram removidos das gaiolas de reprodução e colocados juntos normalmente lutam. Ferimentos na cauda são um bom sinal de agressão entre os indivíduos de uma gaiola.


DADOS BIOLÓGICOS DO CAMUNDONGO
Peso corpóreo do adulto (g): 20-40
Área superficial (cm2): 10,5 (peso em g) 2/3
Expectância de vida (anos): 1,5 a 3
Consumo de alimentos (g/100g.dia): 15
Consumo de água (ml/100g.dia): 15
Temperatura corpórea (ºC): 36-37
Freqüência cardíaca (bpm): 500-600
Freqüência respiratória (min-1): 84-230


MANEJO

Gaiolas: de polipropileno (opacas) ou policarbonato (transparentes), com tampa aramada para apoiar o bebedouro e a ração (4-5 camundongos adultos).
Cama: O material da cama é colocado diretamente na gaiola para permitir absorção da urina e permitir ao animal a se enterrar (troca 2x/semana), a disponibilidade de água e ração deve ser checada diariamente.
Ração: A ração deve ser peletizada e composta primariamente de cereais suplementados com proteína adicional, vitaminas e minerais. A água dever ser pelo menos clorada.

Coordenação
  • Prof. Pedro Lucio de Souza
  • Prof. Leandro Tibiriça Burgos
Responsável Técnica
  • Med. Vet. Susana Tautz
Horários dos funcionários
  • 2ª feira 07:30 - 13:30 Cassia
  • 3ª feira 07:30 - 11:30 Morgana / 11:30 - 13:30 Cassia
  • 4ª feira 11:30 - 13:30 Cassia
  • 5ª feira 13:30 - 17:30 Morgana
  • 6ª feira  07:30 - 11:30 Morgana

MENU PRINCIPAL